RIACHO DA VELHA – UM AFLUENTE DO RIO SALGADINHO EM PLENO PLANALTO DA BORBOREMA EM BOM CONSELHO/PE

Por Cláudio André, publicado em 10 de julho de 2020

Publicidade

UMA BREVE ANÁLISE DA NASCENTE DO RIACHO DAS VELHAS: A NASCENTE ENTRE A SERRA GRANDE E A SERRA QUEIMADA

José Fabio dos Santos Bezerra

RESUMO:  O presente texto documenta de maneira breve acerca da nascente do riacho das velhas que por sua vez é um afluente do rio salgado. O riacho das velhas por ser tributário do rio salgadinho e este ser tributário Traipu, este último despeja as suas águas no Rio São Francisco; faz desse riacho uma pequena parte da bacia de drenagem do “Velho Chico”.  Em outras palavras, a drenagem na região da Borborema onde se localiza a Serra Grande e a Serra Queimada em Bom Conselho contribui com uma parte do fluxo da Bacia do São Francisco.

PALAVRAS CHAVES: Riacho das Velhas. Nascente. Bom Conselho.

INTRODUÇÃO:

Sempre que se pensa de modo sistematizado um corpo hídrico que flui como um rio ou um riacho se imagina que há sempre uma entrada e uma saída de matéria (água) e energia (força potencial gravitacional que faz essas massas de água escorrer com cinética das partes mais altas para as mais baixas contornando o relevo). As águas das chuvas precipitadas entre a serra queimada e a serra grande que é a matéria que dá fluxo ao  “riacho das velhas” são convergida ao escorrer entre as duas serras via escoamento superficial em direção a nascente alimentando a mesma. Nesse pequeno texto será caracterizada a nascente do riacho das velhas, uma nascente orográfica que se localiza entre a serra queimada e a serra grande na parte oeste do município de Bom Conselho, que por sua vez se localiza da região denominada Agreste  Meridional do  Estado de Pernambuco.

O presente assunto abordado no texto  se justifica pela importância de se se conhecer melhor as feições de drenagens que são encontradas na região serrana do município de Bom Conselho. A justificativa do artigo se dá pelo valor geográfico e político de se ter documentado o funcionamento de geossistemas de um território como bacias hidrográficas, configuração de relevo e outros.

O objetivo desse pequeno artigo é documentar a nascente dos riachos das velhas trazendo assim a público informações referente a essas nascente. O argumento que sustenta esse objetivo é de que é importante ter ciência dos elementos da paisagem para se intervir e para ter conhecimento de uma feição que faz parte de um determinada área do do território do município.

METODOLOGIA:

O campo é o laboratório do geólogo como dizia Press et al (2008) e também é o laboratório do geógrafo e de todos aqueles que explora com perspicácia  a dinâmica de uma determinada área. Foi feito uma visitação na região da nascente do riacho das velhas junto com o radialista e jornalista Cláudio André onde foi feito uma matéria sobre a feição, onde foi feito a leitura da paisagem do lugar.

Em campo foi realizado um registro visual do lugar,  foi observado o contorno que o fluxo d’ água faz  ao deixar a nascente em torno no relevo para seguir em direção ao rio salgadinho.  Foi visto a cobertura vegeta onde se viu a predominância de herbáceas e algumas poucas árvores.

Foi observado a Geomorfologia da região da nascente onde a sul da nascente tinha a presença da serra grande e a norte a presença da serra queimada. É interessante se colocar que a oeste por trás da serra queimada se encontra a serra do jacu e a serra da baeta. Esse conjunto de serras que faz parte do Planalto da Borborema, configura a região serrana da parte oeste de Bom Conselho. A metodologia foi de caráter visual com visita a campo.

DESENVOLVIMENTO:

É interessante se compreender a circulação hídrica no ambiente para entender de modo holístico o funcionamento de uma nascente. À água tem um ciclo na natureza começa do está líquido em rios, lagos mares que recebe uma certa medida de calor e evapora. Essa água já em forma de vapor oriunda da evaporação e da transpiração dos seres vivos começa a fazer parte do fluído atmosférico até interagir com partículas de aerosóis, (os núcleos de condensação) e condensa formando os sistemas de nuvens.

Uma vez condensada e saturada a nuvem, de modo a vencer as correntes ascendente, a água já em estado líquido retorna a superfície da  Terra é a precipitação, parte dessa água precipitada segue seu fluxo por escoamento superficial fazendo ravinas nos solos, provocando erosões até achar um rio,  lago ou riacho. Outra parte da água precipitada tem um escoamento subterrâneo onde se infiltra no solo e recarrega o lençol freático e aquíferos. Eventualmente um lençol freático tem comunicação com a superfície e logo saturado dá origem a olhos d’ água e nascentes que por sua vez originam um novo escoamento superficial um pouco mais contínuo que poderá originar rios e riachos.

A nascente do riacho das velhas se localiza em uma região de relevo, de acordo com Zanin et al (2013) esse tipo é denominada de “Nascente Orográfica”, nesse caso o relevo é determinante no escoamento subterrâneo, esse tipo de nascente depende muito da precipitação, em razão de sua menor área acumulada (ZANIN et al 2013). Por sua vez uma nascente de planície que é também elucidada por Zanin et al (2013) é a feição que possui maior área de acumulação e menor velocidade de escoamento, ao contrário das nascente orográfica, esse tipo de nascente de planície tende a ter escoamento relativamente lento e maior área de acumulação que faz desse tipo de nascente ser perene.

Sendo então a nascente do Riacho das velhas é do  tipo orográfica, ou seja, o relevo contribui para acelerar o escoamento e sua área de acumulação é relativamente menor, isso faz dessa nascente uma feição dependente da precipitação contínua para que ele mantenha o seu fluxo alimentando o riacho.

A região da nascente é caracterizada pela pela presença do relevo que faz parte da serra grande e serra queimada. Neste lugar onde o riacho das velhas nasce é possível inferir que o lençol freático tem uma comunicação com a superfície e aflora dando origem a nascente. abaixo do solo há a presença de rochas impermeáveis  que faz com que a água seja acumulada no subsolo (região de lençol freático). Parte de água que desce o relevo por escoamento superficial se infiltra em parte no solo recarregando os lençóis  que por sua vez dá suporte a nascente em superfície que contribui para originar o riacho das velhas que segue o seu percurso contornando o relevo rumo ao rio salgado.

O que foi observado é a interação de processos referentes ao ciclo hidrológico da região com processos geomorfológicos. As serras envolta da nascente participa da formação da nascente permitindo o escoamento das águas. Processos geológicos referente ao solo e a rocha matriz que dá condições do lençol freático levar água para a superfície também fazem parte. Foi observado a presença de rochas graníticas que são avistadas de longe. São blocos cristalinos formado a muito tempo por processos geológicos e geomorfológicos que deram origem ao Planalto da Borborema. Esses blocos rochosos compõe a paisagem junto com o relevo e a presença da nascente e dos riachos.

CONCLUSÃO:

A nascente do “Riacho das Velhas é uma feição geográfica localizada entre a Serra Grande e a Serra Queimada, é do tipo orográfica e se situa no “pé” de duas serras de modo que de um lado da nascente se ver a Serra Grande e do outro a Serra queimada. Na região da nascente se observou a presença de uma pequena lagoa coberta por baronesas, esse corpo d’ é alimentada pela nascente do riacho das velhas.

Visto que a região da nascente é pouco arborizada, seria interessante existir em torno dessa nascente a presença de mais cobertura vegetal, porque a presença de árvores nas regiões de nascente contribui para uma melhor infiltração da água da chuva que irá recarregar o lençol freático que alimenta a nascente e o riacho das velhas terá um impacto positivo. A presença da cobertura vegetal protege o solo da erosão e impede que a maior parte da água seja transportada via escoamento superficial sem antes infiltrar no solo.

A feição geográfica de caráter hidrogeológica que origina o riacho das velhas é fruto de um dinamismo complexo de processos hidrológicos que entram na esfera do ciclo da água e de processos geomorfológico que são referente a presença das serras que estão no entorno dessa nascente.

REFERÊNCIAS:

PRESS, F, et al. PARA ENTENDER A TERRA.  4 edição. Bookman 2008.

ZANIN, P,R, et al. CARACTERÍSTICAS HIDROGRÁFICAS DE NASCENTE EM DIFERENTES MODELADOS DE RELEVO. XX Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos. Novembro de 2013.

PATROCÍNIO

BILICA01
Banner%2BNovo%2BFormato%2B2
Estilos%2B780X178
canal2
Apoio Cultural: Marcos Guedes

Mais sobre:

O Poeta tem muito mais conteúdo em nosso canal no YouTube!

Cláudio André

Cláudio André Santos, natural da cidade de Olho d'Água das Flores, sertão de Alagoas,formado em radiojornalismo, é poeta, blogueiro, radialista profissional (Reg.3059 - DRT-PE) e escritor. Tem doze livros de poesias e crônicas publicados. Premiado Pelo Ministério da Cultura em 2009 com o Projeto Cultural Minha Imaginação é um Poema. Estudou além Radiojornalismo, Francês e Filosofia. Membro efetivo da Associação Alagoana de Imprensa (Reg.678). Fundador da Rádio Olho d'Água FM, criador do Projeto Música na Escola e ex-seminarista. Show-man. Foi um dos fundadores e diretor-executivo da Associação de Blogueiros de Pernambuco (ABlogpe). Fundador do Sistema Online Poeta de Comunicação (Blog, Site, Studio, Lista telefônica, Rádio Web e TV Web). Trabalhou em mais de uma dezena de emissoras de rádio nos estados de AL, PE, SP. Tecnólogo em oratória, em técnicas de vendas e administração empresarial pelo SENAC. Tem várias premiações como repórter e blogueiro. Destaque na área do fotojornalismo. Criador do projeto ecológico/educativo Poeta Viagens e Aventura.

CONHEÇA AS SERRAS DE BOM CONSELHO

MOURA CONTABILIDADE

REDE BRASILEIRA DE BLOGUEIROS DE VIAGEM

ANUNCIE AGORA MESMO

VEM AÍ RÁDIO ATITUDE FM

PUBLICIDADE

LISTA TELEFÔNICA DO POETA