TURISMO: CAVERNA DOS HOLANDESES COMPLETA 111 ANOS DA SUA PRIMEIRA EXPLORAÇÃO EM BOM CONSELHO/PE

Por Cláudio André, publicado em 19 de abril de 2020

Publicidade

A nossa parte estamos fazendo, localizando, mapeando e preservando os atrativos turísticos da terra de Papacaça. Um trabalho silencioso, mas muito proveitoso. Longe da agitação do meio urbano nos concentramos mais. Na imagem acima está eu subindo os quase mil metros de altitude aonde está localizada a Caverna dos Holandeses.

O conjunto de apenas três buracos estão aptos a receberem visitação. Esse da imagem acima, fica na parte baixa da principal entrada da Caverna dos Holandeses. Devido a vegetação existente bem no acesso dessa cavidade, para quem não conhece pode passar despercebida.

Outras cavidades quando não estavam interrompidas, davam acesso a parte superior da caverna. Somente um estudo aprimorado é que descobrirá a verdadeira interligação entre os buracos feitos pelos negros fugidos, escravizados pelos holandeses no século XVIII. Mas, sugiram novos relatos que contradizem relatos de Carlos Vilela (membro da família que fundou Bom Conselho). Em um novo relato feito por um holandês que esteve recentemente em Bom Conselho, consta que a caverna existe muito antes das datas já mencionadas.

Essa cavidade tem uns 10 metros de altura, uns 06 metros de comprimento e uma largura de 2,5 metro de largura. As paredes é argila misturada com cascalho e vegetação rasteira. Antes, esse lugar estava mais bruto, mato fechado… Porém, uma limpeza realizada por trabalhadores da fazenda onde fica a caverna e alguns voluntários, deixou o atrativo mais acessível.

A luminosidade é escassa. Não há perigo para descer essa parte da caverna, pois foram feitas escadas de terra para facilitar o acesso. Anteriormente, quando estive pela primeira vez, para descer era mais aventureiro, ou seja, tinha que se agarrar nas raízes das árvores para chegar a parte interna.

Com uma luminosidade secundária, fica visível a quantidade de raízes das árvores que foram vítimas da erosão. Sempre esse lugar está úmido, devido a quantidade de água acumulada no solo argiloso.

Os primeiros relatos históricos citam o ano de 1909 quando o local começou a ser explorado por Carlos Vilela e alguns amigos. Ainda relatam que esse desbravador (Carlos Vilela), acreditando numa hipotética história de “reino encantado” e que teria escondido na caverna, sessenta caixões de barra de ouro, uma arca cheia de pedras preciosas, um caixão de moedas e uma imagem de Nossa Senhora da Conceição com um diamante na cabeça, fez escavações por mais de 05 anos. Mas acabou morrendo devido ter contraído tuberculose e ao mesmo tempo frustrado por não encontrar nada.

Sabe-se que as cavidades existentes na Caverna dos Holandeses, serviram de esconderijo para índios de várias outras plagas que existiam na região, além de escravos fugidos que foram escravizados pelos Holandeses. Imagine esse buraco todo fechado por vegetação, sobrando pouco espaço para entrar os raios do sol… Só teriam acesso quem conhecia muito bem a serra.

Quem fez essa escavação tinha o intuito de esconder e viver como um nômade. Não existe visivelmente marcas pré-históricas, porém o lugar é rodeado de mistério. Há várias lendas sobre esse atrativo turístico de Bom Conselho, localizado na região sul do município.  A inclinação da serra deixa o acesso ainda mais difícil. Quando você está na boca da caverna marca-se uma altitude acima dos 900 metros, proporcionando uma vista panorâmica sensacional.

Buscando em relatos históricos descobrimos que no ano de 1645, houve uma revolta dos negros do Quilombo de Negro de Papacaça contra os holandeses. O confronto sangrento teve o comando do capitão João Blaer. Não se sabe quantos negros e holandeses morreram. Sabe-se que a revolta se deu justamente pelo sistema de escravização acometida pela leva de holandeses que viviam escondidos no alto da serra. É provável que os escravos foram forçados a fazerem escavações para servirem de abrigo. Pode a partir daí haver o surgimento da denominação Caverna dos Holandeses.

Pelo estilo de solo, da para crer que se levou muito tempo até deixar as cavidades prontas para serem usadas como esconderijo. É bom lembrar que na época todos a região era coberta por mata fechada, uma verdadeira floresta.

Quando visitei pela primeira vez a Caverna dos Holandeses, fui cativado pela ambiente e vi que não tinha nenhuma placa sinalizando o atrativo e que as pessoas que já tinha visitado a caverna estavam deixando lixo acumulado. Então, primeiro coloquei uma placa educativa, solicitando aos visitantes que não deixassem lixo no local. Mas uma outra placa resolvi fazer, justamente indicando a localização da principal entrada dessa gruta histpórica.

Em novos relatos históricos constam que a caverna dos Holandeses existe muito antes dos relatos de Carlos Vilela que num livro relatou que a exploração do local começou na verdade no ano de 1909. Se partir dessa data já são 111 anos que a caverna foi explorada por ele e um grupo de amigos. E mesmo assim tem muito o que contar…

Vejam que dentro da caverna vemos uma camada de solo arenoso, mas até chegar a parte interna você encontra rochas calcárias e uma mistura de solo argiloso. Argiloso é o solo que é mais duro e consistente (da onde se tira argila), já o solo arenoso tem textura de areia é mais seco e tem partículas finas e soltas! O solo Arenoso possuiu uma grande quantidade de areia na sua formação.

A parte interna da caverna é composta de argila e caulim. Você passa a mão e facilmente há um deslocamento desse tipo de solo. Quem está dentro da caverna tem essa vista sensacional da serra da Caixa D’água. Lógico que há 100 anos passados isso era tudo mata fechada, ideal para esconderijo.

Eu tenho 1,75 de altura, pela imagem vejam que mais um palmo para cima encostava a cabeça na parede que foi cortada para ter acesso a parte interna da caverna. O local é ideal para acampar, fazer piquenique e atravessar para o outro lado, já que você segue por um corredor estreito de aproximados 11 metros de comprimento…

 

Ai você pode perguntar, e os morcegos? Estão no habitat deles. Eles não atacam não, lógico, se você não jogar algum tipo de luz em cima deles. Para fazer a travessia é bom usar algum tipo de máscara devido ao forte odor da urina dos morcegos.

Essa cavidade fica escondida a parte baixa da caverna. Diante das reportagens que realizei, muita gente que não tinha conhecido a caverna ou que fazia muitos anos que tinha ido, resolveu voltar ao atrativo. Mais uma vez solicitamos que ao visitar a caverna dos Holandeses, não deixe lixo acumulado. Quando você faz isso, já estar dizendo quem você é e como é sua casa. No demais, faça uma boa trilha ecológica. Leve água para hidratar seu organismo, pois os 1.500 metros restantes são bastante íngremes até a boca da caverna.

Mais sobre:

O Poeta tem muito mais conteúdo em nosso canal no YouTube!

Cláudio André

Cláudio André Santos, natural da cidade de Olho d'Água das Flores, sertão de Alagoas,formado em radiojornalismo, é poeta, blogueiro, radialista profissional (Reg.3059 - DRT-PE) e escritor. Tem doze livros de poesias e crônicas publicados. Premiado Pelo Ministério da Cultura em 2009 com o Projeto Cultural Minha Imaginação é um Poema. Estudou além Radiojornalismo, Francês e Filosofia. Membro efetivo da Associação Alagoana de Imprensa (Reg.678). Fundador da Rádio Olho d'Água FM, criador do Projeto Música na Escola e ex-seminarista. Show-man. Foi um dos fundadores e diretor-executivo da Associação de Blogueiros de Pernambuco (ABlogpe). Fundador do Sistema Online Poeta de Comunicação (Blog, Site, Studio, Lista telefônica, Rádio Web e TV Web). Trabalhou em mais de uma dezena de emissoras de rádio nos estados de AL, PE, SP. Tecnólogo em oratória, em técnicas de vendas e administração empresarial pelo SENAC. Tem várias premiações como repórter e blogueiro. Destaque na área do fotojornalismo. Criador do projeto ecológico/educativo Poeta Viagens e Aventura.

REDE BRASILEIRA DE BLOGUEIROS DE VIAGEM

CONHEÇA AS SERRAS DE BOM CONSELHO

MOURA CONTABILIDADE

LISTA TELEFÔNICA DO POETA

ANUNCIE AGORA MESMO

VEM AÍ RÁDIO ATITUDE FM

PUBLICIDADE