PEDRA DO CAPACETE – UMA DAS GEOFORMAS DO LAJEDO DO PAI MATEUS NO SERTÃO DO CARIRI PARAIBANO

Por Cláudio André, publicado em 5 de novembro de 2019

A casa de barro é o símbolo sertanejo que você encontra logo de cara quando se chega para conhecer o Lajedo de Pai Mateus.

 O nome que batiza o lajedo se explica por uma lenda bem conhecida nas redondezas do sítio arqueológico. Conta-se que um ermitão que vivia na região no século 18 nada cobrava pelas curas que realizava e pedia apenas comida em troca do bem que fazia a quem o procurava. Pai Mateus era o seu nome.

Os blocos do Pai Mateus têm diferentes graus de arredondamento e “são compostos por monzogranitos/granodioritos porfiríticos de granulação grossa, não raro, com enclaves dioríticos associados”, define Lages.

A grande quantidade de blocos e matacões se assemelha a um “mar de bolas” no coração do Sertão do Cariri. Matacões, diga-se, são grandes pedras arredondadas trabalhadas continuamente pela erosão.

Em Lajedo de Pai Mateus a paisagem impressiona. São dezenas de pedras com formatos inusitados, sustentadas sobre o solo também rochoso, em formato convexo. A impressão é que com um simples peteleco, as pedras milenares sairiam rolando morro abaixo. Mas turistas vêm e vão, pessoas sobem, descem e brincam sobre as rochas, e a paisagem se mantém aparentemente intacta e inquestionavelmente soberana.

No pé do lajedo há um açude que no período de trovoadas junta muita água. Diante da altas estiagens a água acumuladas evaporam-se devido ao calor e sol forte, ou seja, a água sai do estado sólido e vira vapor devido ao processo de vaporização.

Em cima das rochas há várias plantas nativas da caatinga. Essas plantas suportam muito sol, alta temperaturas e mesmo assim não morrem já que as raízes conseguem manter-se pela água acumulada nas brechas das rochas.

Lajedo fica nas redondezas da cidade de Cabaceiras, auto-intitulada “Roliúde Nordestina”. O apelido faz referência aos mais de 25 filmes rodados na região, dentre os quais o Auto da Compadecida.

Situada quase que no coração da Paraíba, a cidade atrai turistas ávidos por testemunhar as belezas de Lajedo, fruto do desgaste de milhões de anos do solo ocasionado por fissuras naturais e altas variações de temperatura.

A natureza em seu estado mais bruto e muito preservado, o Lajedo de Pai Mateus vemos uma paisagem única, um cenário perfeito com suas rochas e formações e um céu de azul sem igual. Passar a tarde, assistir o por do sol, sentir o vento, desbravar esse lugar. Recomendo para todo mundo conhecer esse paraíso, que é de fácil acesso, uma trilha leve mas realmente impactante.

O por do sol no Lajedo é fantástico e rende belas fotos. Além da vista desta região com serra, pedras, plantas típicas da região e flores do sertão. Ficando um pouco depois que escurecer (levar lanterna para ajudar no caminho de volta é importante) proporciona admirar um céu estrelado que não vemos na grandes cidades. Simplesmente mágico.

 

Área de preservação ambiental no Sertão do Cariri com formação rochosa única no Brasil, muito interessante e bonita. O Lajedo fica dentro de propriedade particular, que inclusive possui um hotel fazenda.

A formação rochosa do Lajedo de Pai Mateus simplesmente é de tirar o fôlego. Simplesmente ímpar, simplesmente encantador. Somente um acidente geológico há milhões de anos deixou esse cenário cravado no sertão do Cariri paraibano.

A formação rochosa é fruto do desgaste do solo ao longo de milhões de anos, em função de fissuras naturais e grandes variações de temperatura. Um dos blocos mais famosos é a Pedra do Capacete, por seu formato peculiar Em algumas pedras são encontradas pinturas rupestres atribuídas aos índios cariris, que viveram na região há cerca de 12 mil anos.

Voltar a ser criança não custa nada… O Lajedo do Pai Mateus nos proporciona a isso… O encantamento do pôr do sol faz-no ver ao alcance dos nossos olhos a obra do Criador do Universo sem assinatura. Ele nos deixa que façamos isso…

A Pedra do Capacete pelo seu gigantismo nos torna pequenos… mesmo pulando não cheguei perto de alcançar sua parte superior já que chega aos seus 04 metros de altura e uns 06 metros de largura e mais de 50 toneladas… Pergunta-se, quem escupiu essa rocha granítica.

Me senti um nômade como viveu no século XVIII o ermitão Pai Mateus. Imagine você acampar ai em noite de lua nova quando tudo fica claro igual ao dia. Ainda voltarei ao Lajedo do Pai Mateus… O município de Cabaceiras ainda tem outros tantos lajedos para se visitar…

Mais sobre:

Cláudio André

Cláudio André Santos, natural da cidade de Olho d'Água das Flores, sertão de Alagoas,formado em radiojornalismo, é poeta, blogueiro, radialista profissional (Reg.3059 - DRT-PE) e escritor. Tem doze livros de poesias e crônicas publicados. Premiado Pelo Ministério da Cultura em 2009 com o Projeto Cultural Minha Imaginação é um Poema. Estudou além Radiojornalismo, Francês e Filosofia. Membro efetivo da Associação Alagoana de Imprensa (Reg.678). Fundador da Rádio Olho d'Água FM, criador do Projeto Música na Escola e ex-seminarista. Show-man. Foi um dos fundadores e diretor-executivo da Associação de Blogueiros de Pernambuco (ABlogpe). Fundador do Sistema Online Poeta de Comunicação (Blog, Site, Studio, Lista telefônica, Rádio Web e TV Web). Trabalhou em mais de uma dezena de emissoras de rádio nos estados de AL, PE, SP. Tecnólogo em oratória, em técnicas de vendas e administração empresarial pelo SENAC. Tem várias premiações como repórter e blogueiro. Destaque na área do fotojornalismo. Criador do projeto ecológico/educativo Poeta Viagens e Aventura.

Estatísticas do Google Analytics

gerado por GADWP 

CONHEÇA AS SERRAS DE BOM CONSELHO

SEDUÇÃO CAMISARIA

MOURA CONTABILIDADE

LISTA TELEFÔNICA DO POETA

MALHARIA COLATINO

BIO FITNESS ACADEMIA

ANUNCIE AGORA MESMO

VEM AÍ RÁDIO ATITUDE FM

Últimas