AS ROCHAS GRANÍTICAS DA CACHOEIRA DO TAMANDUÁ NO POVOADO DE QUEIMADAS

Por Cláudio André, publicado em 3 de setembro de 2019

Distante da cidade de Bom Conselho 25 km, a barragem do Bálsamo construída no início dos anos 2000, tem uma capacidade de 20 milhões de metros cúbicos de água e abastece 03 municípios e serve para criação de peixes e irrigação.

Rodeado por serras e várias nascentes, a barragem do Bálsamo muito tem colaborado com o desenvolvimento sustentável de várias famílias que residem no povoado de Queimadas e sítios adjacentes.

Alguns produtores vêm arrendando terras e a Celpe ajudando, disponibilizando a instalação de medidores para uso da energia-verde, destinada à irrigação. Em breve um grande empreendimento na área turística será implantado às margens do lago.

A cachoeira do Tamanduá ou de Antônio Vitório fica na divisa dos municípios de Bom Conselho/PE e Palmeira dos Índios/AL, pois o rio Bálsamo é o divisor desses estados.

Por estar no leito do rio Bálsamo a cachoeira nunca seca, as vezes diminui a vazão d’água.

Propício para o banho, a cachoeira de Antônio Vitório, como é mais conhecida, é ponto turístico que todos devem conhecer e preserva-la mesmo estando dentro de uma propriedade particular da família Vitório de Palmeira dos Índios.

A água que escorre pelas rochas graníticas seguem com destino ao município de Quebrangulo onde termina se encontrando com o rio Paraíba do Meio que tem a nascente no município de Saloá.

Nessa correnteza não tem caramujo, por tanto o banho é sadio, livre de contrair a doença chamada de Esquistossomose ou BUCHO D’ÁGUA.

Em torno do Povoado Queimadas tem as serras do Justino, Alto Redondo, Pavão e Selador, a barragem do Bálsamo, além do Poço da Nega.

Ultimamente a renda da população tem melhorado com a introdução da piscicultura em cativeiro e irrigação, graças à Barragem do Bálsamo. Com a chegada da barragem o valor do hectare de terra foi muito valorizado.

Além do banho na cachoeira, você pode saborear um delicioso peixe acompanhado de um pirão feito pela esposa do amigo Wanderley do Bar da Cachoeira Antônio Vitório.

Essa rocha granítica coberta de linqueis (microorganismos purificadores do ar) é um dos locais que o pessoal para fazer belas imagens.

O clima, a vegetação de mata atlântica e algumas nativas da caatinga embelezam ainda mais o entorno da cachoeira.

A gente vai aproveitando o lugar, o ambiente… Vamos contando histórias e compartilhando com o leitores desse portal. A cachoeira de Antônio Vitório é o lugar para você ter um contato direto com a natureza.

Historicamente o uso do solo foi, quase sempre, algo praticado sem grandes preocupações ambientais. Os terrenos acabavam sofrendo degradações cuja recuperação muitas vezes não se mostrava economicamente viável. Nos arredores da cachoeira de Antônio Vitório foi meramente uma ação do tempo, pela localização das rochas.

O homem pré-histórico ao aderir ao sedentarismo acabou por promover uma interferência mais ativa no meio físico. A princípio essa interferência se vinculava quase que exclusivamente à atividade agropastoril. Na região do povoado de Queimadas não há relatos de marcas do homem nômade, até porque nas rochas não nenhum tipo de pintura ou gravura nas rochas existentes nas serras próximas.

O paredão da Barragem do Bálsamo há espaço para você andar próximo ao espelho d’água, justamente por não estar fazendo uso das comportas ou do sangradouro. Para se ter ideia, o paredão é muito grande e estruturado, suportando tanta água ao longo dos mais de 08 km de espelho d’água.

Andar, caminhar, ter um contato com a natureza às margens da Barragem do Bálsamo é uma grande terapia para os amantes da natureza. Muito produtores de verdura migraram do sítio Serra do Amaro, zona rural de Palmeira dos Índios, devido a falta d’água. Como a barragem tem como projeto inicial para irrigação, muitos produtores usam a água para plantar hortaliças e com isso abastecer as feiras de Bom Conselho e Palmeira dos Índios, ou seja, todo mundo sai ganhando com a barragem.

E assim, fechamos mais um documentário sobre o TURISMO na zona rural de Bom Conselho…

PATROCINADORES

Mais sobre:

Cláudio André

Cláudio André Santos, natural da cidade de Olho d'Água das Flores, sertão de Alagoas,formado em radiojornalismo, é poeta, blogueiro, radialista profissional (Reg.3059 - DRT-PE) e escritor. Tem doze livros de poesias e crônicas publicados. Premiado Pelo Ministério da Cultura em 2009 com o Projeto Cultural Minha Imaginação é um Poema. Estudou além Radiojornalismo, Francês e Filosofia. Membro efetivo da Associação Alagoana de Imprensa (Reg.678). Fundador da Rádio Olho d'Água FM, criador do Projeto Música na Escola e ex-seminarista. Show-man. Foi um dos fundadores e diretor-executivo da Associação de Blogueiros de Pernambuco (ABlogpe). Fundador do Sistema Online Poeta de Comunicação (Blog, Site, Studio, Lista telefônica, Rádio Web e TV Web). Trabalhou em mais de uma dezena de emissoras de rádio nos estados de AL, PE, SP. Tecnólogo em oratória, em técnicas de vendas e administração empresarial pelo SENAC. Tem várias premiações como repórter e blogueiro. Destaque na área do fotojornalismo. Criador do projeto ecológico/educativo Poeta Viagens e Aventura.

Estatísticas do Google Analytics

gerado por GADWP 

CONHEÇA AS SERRAS DE BOM CONSELHO

SEDUÇÃO CAMISARIA

MOURA CONTABILIDADE

LISTA TELEFÔNICA DO POETA

MALHARIA COLATINO

BIO FITNESS ACADEMIA

ANUNCIE AGORA MESMO

VEM AÍ RÁDIO ATITUDE FM

Últimas