AS PEDRA DE DUAS CARAS E DO ELEFANTE SÃO AS GEOFORMAS NO GROTÃO DO MORRO GRANDE

Por Cláudio André, publicado em 13 de agosto de 2019

Enquanto buscava um caminho para chegar ao Grotão do Morro Grande, me deparei com uma rocha sedimentar com a geoforma de DUAS CARAS, uma, humana, outra, animal. Vejam que a camada da rocha do lado esquerdo parece a cara de um MACACO, a outra do lado direito, um rosto HUMANO. Essa geoforma é resultado do intemperismo, uma ação que levou milhões de anos para ficar assim.

Ao chegar no Grotão da serra do Morro Grande, encontramos um cenário de novela/filme. Impressionante a quantidade de rochas sedimentares espalhadas no leito do riacho que tem um percusso de pelo menos 02 km.

As caraibeiras ficam floridas nesse período deixando o meio ambiente ainda mais bonito. A temperatura caiu repentinamente, vejam na imagem como ficou essa área da fazenda Morro Grande. A mistura de neblina com vegetação arbustiva.

A pedra CARA DE GENTE, é uma rocha sedimentar. Percebam que a raiz do pé de urtiga está entre duas rochas. Como o pé de urtiga cresceu? Simples, água acumulada da rocha foi suficiente para a semente germinar.

Quando espinhos novos surgem no mandacaru, são bem maiores que os demais. Tem espinho que chega a 15 centímetros. O mandacaru é uma espécie típica do bioma caatinga pode atingir cinco até seis metros de altura.

Veja que essa rocha sedimentar que tem uma coberta de líquens (purificadores do ar), serve também de filtro para amenizar a temperatura do solo.

O grotão da serra do Morro Grande é uma grota muito grande que tem grande cavidade que se forma pela ação da água da chuva, ou seja, no período de chuvas se transforma num riacho que deságua em um riacho próximo a estrada da serra de São Pedro.

Imagine quando chove, o corpo d’água que se forma no leito desse riacho. Com a força da água, as rochas rolam grota abaixo e depois ficam espalhadas em toda a cavidade. O cenário criado pela força da natureza é como se alguém tivesse espalhado as rochas com as mãos…

Nessa área marca-se uma altitude de pouco mais de 600 metros. No cume dessa serra que você ver no horizonte fica a comunidade do Angico que está dentro da zona rural de Bom Conselho.

Fiz questão de levar minha mulher Joseane para que pudesse ter um contato direto com a natureza. Viver essa experiência no meio da caatinga. Já saboreou até água do facheiro. A partir que a gente começa a vivenciar momentos assim, é como se tomasse uma injeção de ânimo ou tivesse uma sessão de terapia emocional.

É de praxe sempre que estou fazendo uma trilha ecológica, parar um pouco, relaxar, renovar o ar dos pulmões com o gesto de inspirar e respirar. Veja que essa rocha sedimentar rodeada de vegetação de caatinga de frente para um vale é ponto primordial para você fazer uma leve meditação.

Essa é a casa da fazenda Morro Grande, construída no ano de 1987 pela família Correia Ferro. Antes, era um casarão de taipa, quando o seu Laércio Ferro e dona Minininha Ferro, adquiriram a propriedade que hoje é comandada pelos nove filhos. Dos alpendres da casa você tem uma vista sensacional das serras que ficam no entorno.

O grotão da serra do Morro Grande é um segmento de um riacho, localizado entre serras vizinhas e que sai de uma parte mais estreita destas. O entrelaçamento das árvores arbustivas deixa o lugar ainda mais bucólico.

Quando vamos andando o nosso olhar gira em 360 graus e daí vamos descobrindo belezas que outras que estiveram no lugar não conseguiram enxergar. Como estudioso da geologia, vamos compreendendo as geoformas das rochas. Dentro das terras da família Ferro, até onde andei, encontrei várias rochas com geoformas que representam simbolicamente formatos de rostos humanos, de animais e aves. Na imagem acima está a PEDRA DO ELEFANTE.

A composição mineralógica dos granitos é definida por associações muito variadas de quartzo, feldspato e micas, podem resultar nessas geoformas. Estuda-se ainda que toda evolução atual do relevo, conforme relatos de pesquisas, há testemunhas na amplitude erosiva em clima semiárido. É o que pode ter ocorrido para a rocha sedimentar acima (foto), ficou com a forma de duas caras.

Solo Argiloso
Possuí consistência fina e é impermeável a água. Um dos principais tipos de solo argiloso é a terra roxa, encontrada principalmente nos estados de São Paulo, Paraná e Santa Catarina. Este tipo de solo é bom para a prática da agricultura, principalmente para a cultura de café. Na região litorânea do Nordeste encontramos o massapé, solo de cor escura e também muito fértil. No entorno da serra do Morro Grande encontramos esse tipo de solo (foto acima)

A rocha nua, pela escassez da vegetação, é submetida diretamente aos agentes atmosféricos. As rochas mais resistentes são ressaltadas como esporões, cornijas vigorosas e pilhas de blocos. Nas rochas mais tenras, as enxurradas intensificam bruscamente a erosão vertical.

O granito é um tipo comum de rocha ígnea ou rocha magmática de grão fino não metamórfica, médio ou grosseiro, composta essencialmente pelos minerais quartzo, mica e feldspato.

Percebam o tamanho da rocha que segura a outra. O que fez essa pequena rocha ficar servindo de escoramento para a maior? Provavelmente uma erosão, quando houve o deslocamento das rochas ou pela ação da água se um dia foi o fundo do mar.

Na superfície terrestre podemos encontrar diversos tipos de solo. Cada tipo possui características próprias, tais como densidade, formato, cor, consistência e formação química. Nas minhas leituras diárias, chegamos a parte da Pedologia que é ciência que estuda a composição, o desenvolvimento e a formação dos solos.

Antes mesmo que chegássemos na fazenda Morro Grande, na zona rural de Bom Conselho, fomos premiado com esse pássaro se exibindo para as lentes de nossas câmeras. Por essas bandas, a fauna é muito rica. Ainda existem muitos pássaros em extinção.

 

Bom Conselho

Andando pelo grotão do Morro Grande, senti que o solo arenoso em todo o leito do que se transforma em riacho durante os períodos chuvosos, possui cerca de 70% de areia em relação ao total de partículas sólidas. Vimos que os poros grandes entre os grãos de areia pelos quais a água e o ar circulam com relativa facilidade está bem presente entre as rochas sedimentares.

 

MORRO GRANDE

Para finalizar, encontrei dentro do leito do riacho um cupinzeiro. Interessante, que rodeado de beldroegas e muito brejo, eles, os cupins, sobrevivem, até que num acha uma enchente pelo grotão. Aprendi que na natureza para tudo há espaço e vida em harmonia, diferentemente da raça humana.

AGUARDEM A PRÓXIMA REPORTAGEM
APOIO CULTURAL

O Poeta tem muito mais conteúdo em nosso canal no YouTube!

Cláudio André

Cláudio André Santos, natural da cidade de Olho d'Água das Flores, sertão de Alagoas, formado em radiojornalismo, poeta, blogueiro, radialista profissional (Reg.3059 - DRT-PE), escritor. Tem doze livros de poesias e crônicas publicados. Premiado Pelo Ministério da Cultura em 2009 com o projeto Cultural Minha Imaginação é um Poema. Estudou além Radiojornalismo, Francês e Filosofia. Membro efetivo da Associação Alagoana de Imprensa (Reg.678). Fundador da Rádio Olho d'Água FM e Rádio Web News Olho d'Água, criador do Projeto Música na Escola, ex-seminarista. Show-man. Foi um dos fundadores e diretor-executivo da Associação de Blogueiros de Pernambuco (ABlogpe). Fundador do Sistema Online Poeta de Comunicação (Blog, Site, Studio, Lista telefônica, Rádio Web e TV Web). Trabalhou em mais de uma dezena de emissoras de rádio nos estados de AL, PE, SP. Tecnólogo em oratória, em técnicas de vendas e administração empresarial pelo SENAC. Tem várias premiações como repórter e blogueiro. Destaque na área do fotojornalismo. Criador do projeto ecológico/educativo Poeta Viagens e Aventura. Membro efetivo da FACUPIRA (Fundação Cultural de Palmeira dos Índios/AL), Ex-membro do Conselho Municipal de Saúde de Bom Conselho/PE. Colunista dos sites Tribuna do Sertão (P.dos Índios) e Tribuna do Agreste (Arapiraca) e 7 Segundos (Maceió). Ex-assessor de comunicação da Câmara de Vereadores de Bom Conselho/PE.