TURISMO: VALE DOS MESTRES, UM LUGAR ECOLOGICAMENTE CORRETO

Por Cláudio André, publicado em 28 de abril de 2019

A rocha sedimentária é de origem detrítica formada de grãos agregados por um cimento natural silicoso, calcário ou ferruginoso que comunica ao conjunto em geral qualidades de dureza e compactação; é us. como material de construção, pavimentação etc.
Em todo o curso do riacho Poço Verde, um dos afluentes do Velho Chico no sertão do estado de Sergipe, encontra-se uma variedade de rochas sedimentares.

 

O Vale dos Mestres é uma área de proteção ambiental em Canindé de São Francisco, no alto sertão de Sergipe. O Vale dos Mestres faz parte da estação Xingó, fica situado na Fazenda Poço Verde, próximo ao povoado de Curituba, próximo a divisa da Bahia. 
Quem vai atravessar a fronteira da Bahia/Sergipe, passando pela rodovia estadual SE-230 que liga Canindé a Paulo Afonso, pode sair da pista e andar numa estrada de barro por 09 km. Para quem estiver em Canindé, vai percorrer 20 km pela SE-230. Na beira da referida rodovia tem uma placa sinalizando com os dizeres “Fazenda Poço Verde”. Basta sair da pista e pegar uma estrada de barro.
 
Em todo o Vale dos Mestres você vai encontrar um cenário de sertão. Os visitantes após andar por 1 hora dentro do leito do riacho Poço Verde, pode se deliciar em um dos melhores banhos de rio, na tríplice fronteira (Bahia, Sergipe e Alagoas).
Existem também várias lendas e mistérios que cercam o lugar. Na região, há sinais visíveis de que ali habitaram povos primitivos. Os paredões rochosos chegam a mais de 50 metros de altura.

 

A rocha da Arraia fica exposta em cima de um paredão rochoso há mais ou menos 60 metros de altura. A geoforma dessa rocha foi escupida pela erosão do tempo. Toda a rocha é feita de arenito.

 

No Vale dos Mestres há vários pequenos abrigos rochosos que servem para Camping. As cavidades encontradas nas rochas foram provocadas pela ação do vento.

 

Vale dos Mestres fica sob o leito do rio Poço Verde um dos afluentes do São Francisco. A trilha, que tem aproximadamente 1,5 km, é toda cercada por paredões rochosos trabalhados pela erosão. Como resultado da última enchente, é fácil encontrar grandes troncos de árvores que foram arrastadas pela força da correnteza.

 

Na margem direita do Poço Verde, é possível encontrar os sítios arqueológicos, onde se encontram gravuras rupestres datadas de mais de 3 mil anos. Pequenas cavernas são encontradas ao longo do leito do rio que é temporário.
São várias os tipos de árvores encontradas em todo o trecho do rio Poço Verde. Há um colorido de rochas espalhados nos quase 02 km de percurso do rio. São rochas de cores vermelhas, cinzas, brancas, laranjadas, escuras e com formações como se fossem esculpidas pela mão humana.
O rio Poço Verde na região denominada Vale dos Mestres tem aproximadamente 50 metros de largura, mas, há locais com bem menos. O seu trecho final se encontra com um dos braços do rio São Francisco, onde fica o lago Xingó.
O que dizer de uma rocha assim? A caminhada pelo Vale reserva surpresas em todo o percurso. Por entre a trilha, o visitante pode conhecer a vegetação típica da Caatinga como: xiquexiques e mandacarus, pássaros silvestres, calangos, saguis, entre outras espécies da fauna do sertão, além de enormes paredões de arenito trabalhados pela erosão.
Pântano é uma área plana de abundante vegetação herbácea e/ou arbustiva que permanece grande parte do tempo inundada. Os pântanos surgem geralmente em áreas onde o escoamento das águas é lento. No Vale dos Mestres o pântano é seco.
Muitas rochas metamórficas se formam quando rochas de outro tipo são submetidas a intensas pressões ou elevadas temperaturas. Quando, por exemplo, por mudanças ocorridas na crosta, uma rocha magmática é empurrada para regiões mais profundas e de maior pressão e temperatura, alterando a organização dos minerais.
A Trilha Vale dos Mestres é cercada de mistérios. O local abriga três Sítios Arqueológicos, com gravuras rupestres de mais de 3 mil anos, que lembram muito animais e figuras humanas. Um lugar de rara beleza, excelente para quem gosta de arqueologia, ecoturismo e trekking.

 

Paisagens assim você não encontra em qualquer lugar. O vale dos Mestres lhe proporciona isso. As rochas, o caminho cheio de pedregulho, a alta temperatura, não sinônimos de cansaço para os aventureiros.

 

Arenito: Rocha de origem sedimentar, resultante da junção dos grãos de areia através de um cimento natural. E encontrado na forma de placas ou em diversos tipos de corte e forma o chamado mosaico português, quando utilizado em calçamentos em conjunto com o basalto e o mármore.

 

Pedra é a palavra que de forma popular se refere a pedaços soltos de rochas. É um corpo duro e sólido e muito utilizado em construções. No corpo humano, em muitas ocasiões ocorre a formação de cálculos em determinados órgãos do corpo, como rins, bexiga, etc.

 

Pra uns, o lugar é esotérico, mágico, deslumbrante e lindo até no nome – Vale dos Mestres – um lugar abençoado em Canindé de São Francisco, no alto sertão de Sergipe. O Vale dos Mestres faz parte da estação Xingó, fica situado na Fazenda Poço Verde, próximo ao povoado de Curituba, na divisa com a Bahia. Quem vai conhecer, nunca mais esquece.
 

PATROCÍNIO

 

 

 

 

 

O Poeta tem muito mais conteúdo em nosso canal no YouTube!

Cláudio André

Cláudio André Santos, natural da cidade de Olho d'Água das Flores, sertão de Alagoas, formado em radiojornalismo, poeta, blogueiro, radialista profissional (Reg.3059 - DRT-PE), escritor. Tem doze livros de poesias e crônicas publicados. Premiado Pelo Ministério da Cultura em 2009 com o projeto Cultural Minha Imaginação é um Poema. Estudou além Radiojornalismo, Francês e Filosofia. Membro efetivo da Associação Alagoana de Imprensa (Reg.678). Fundador da Rádio Olho d'Água FM e Rádio Web News Olho d'Água, criador do Projeto Música na Escola, ex-seminarista. Show-man. Foi um dos fundadores e diretor-executivo da Associação de Blogueiros de Pernambuco (ABlogpe). Fundador do Sistema Online Poeta de Comunicação (Blog, Site, Studio, Lista telefônica, Rádio Web e TV Web). Trabalhou em mais de uma dezena de emissoras de rádio nos estados de AL, PE, SP. Tecnólogo em oratória, em técnicas de vendas e administração empresarial pelo SENAC. Tem várias premiações como repórter e blogueiro. Destaque na área do fotojornalismo. Criador do projeto ecológico/educativo Poeta Viagens e Aventura. Membro efetivo da FACUPIRA (Fundação Cultural de Palmeira dos Índios/AL), Ex-membro do Conselho Municipal de Saúde de Bom Conselho/PE. Colunista dos sites Tribuna do Sertão (P.dos Índios) e Tribuna do Agreste (Arapiraca) e 7 Segundos (Maceió). Ex-assessor de comunicação da Câmara de Vereadores de Bom Conselho/PE.