TRILHAS ECOLÓGICAS SÃO VERDADEIRAS AULAS DE CAMPO SOBRE PROTEÇÃO AMBIENTAL

Por Cláudio André, publicado em 27 de março de 2019

As florestas controlam a temperatura da terra, mas, quando não as protegemos o clima fica instável. Com esse raciocínio, amadurecemos juntamente por entender a importância de defender o meio ambiente. Por esse vale visualizamos a cidade de Palmeira dos Índios/AL.

A mata ciliar é a vegetação que acompanha o curso d’água, ou seja, é a cobertura nativa que fica às margens dos rios, lagos, igarapés, represas e olhos d’água. 

O nome ciliar refere-se ao fato dela funcionar como um cílio, que protege os olhos contra a poeira, mas nesse caso defende os rios contra o assoreamento. Assim, evita que ocorra o alargamento desses locais e, consequentemente, a diminuição da profundidade da água.
A importância da mata ciliar é enorme para a flora e para a fauna. Ela funciona como uma espécie de filtro e impede a contaminação das águas por produtos poluentes, como os usados na agricultura, e possibilita a absorção de nutrientes como nitrogênio, fósforo, cálcio e magnésio.

Momentos antes de entrar na área indígena, uma turma de trilheiros, aventureiros e apaixonados pela natureza fizeram aquela pausa para fazer esse registro. Quero aqui parabenizar a professora Zanza pela organização da trilha.
A mata ciliar permite que os animais silvestres desloquem-se de uma região a outra para buscar alimentos e acasalar. Em algumas localidades, em que a biodiversidade é grande, é possível encontrar plantas e animais raros.
De cima da serra do Goiti temos uma vista parcial do bairro de Palmeira de Fora.
Outro fator danoso à mata ciliar é a queimada. Alguns produtores colocam fogo na vegetação com o objetivo de renovar as pastagens ou limpar a terra. Entretanto, tal prática leva ao empobrecimento do solo.
Por essa imagem que fiz você pode visualizar as chegada e saída do bairro de Palmeira de Fora. Veja que nessa área existe muito desmatamento. Quando fotografei estava no alto do Cuscuz após o Cristo do Goiti.
Imagine mais de 40 pessoas deixarem suas residências em pleno domingo e mergulharem numa aventura ecológica pelas serras e vales da zona rural de Palmeira dos Índios. Uma frase define isso. Paixão pelo meio ambiente.
O crescimento da pecuária e agricultura tornaram-se ameaças para a continuidade de muitas matas ciliares. Sem a preservação desse tipo de formação florestal, o meio ambiente sofre com erosões e assoreamento, o que diminui a qualidade das águas.
Preservar essa vegetação ajuda também a combater a escassez de água, preocupação que aumentou popularmente após a recente crise hídrica sofrida pelo Estado de São Paulo. 

Sem a mata ciliar, a água da chuva escoa pela superfície, o que impede sua infiltração e armazenamento no lençol freático, consequentemente, reduzem-se as nascentes, os córregos, os rios e os riachos.
Às margens dos rios, lagos, represas ou nascentes, a mata ciliar acompanha o tortuoso caminhar das águas. Assim como os cílios de nossos olhos – referência para o nome desse tipo de vegetação -, a cobertura nativa serve para garantir proteção. 
No caso das águas, contra o assoreamento. Ela também é conhecida como mata de galeria, mata de várzea, vegetação ou floresta ripária.
Olha a beleza dessa Caranguejeira! Ela é conhecida também pelo nome de caranguejeira-rosa-salmão-brasileira. Esse nome deve-se à sua coloração peculiar e por ser originária da parte oriental do Nordeste Brasileiro, onde é endêmica. Essa tarântula encontrei durante a trilha ecológica na mata da Cafurna.

Cedinho da manhã, contemplar a natureza, ouvir o cantar dos pássaros e sentir o cheiro de mata verde, é uma terapia que faz bem a alma humana. Essa experiência nos rejuvenesce. 
Para que pressa para sair de um lugar assim? As trilhas ecológicas tem me feito muito bem. Novas amizades, novas parcerias e uma aprendizagem que leva para a vida toda.

O Poeta tem muito mais conteúdo em nosso canal no YouTube!

Cláudio André

Cláudio André Santos, natural da cidade de Olho d'Água das Flores, sertão de Alagoas, formado em radiojornalismo, poeta, blogueiro, radialista profissional (Reg.3059 - DRT-PE), escritor. Tem doze livros de poesias e crônicas publicados. Premiado Pelo Ministério da Cultura em 2009 com o projeto Cultural Minha Imaginação é um Poema. Estudou além Radiojornalismo, Francês e Filosofia. Membro efetivo da Associação Alagoana de Imprensa (Reg.678). Fundador da Rádio Olho d'Água FM e Rádio Web News Olho d'Água, criador do Projeto Música na Escola, ex-seminarista. Show-man. Foi um dos fundadores e diretor-executivo da Associação de Blogueiros de Pernambuco (ABlogpe). Fundador do Sistema Online Poeta de Comunicação (Blog, Site, Studio, Lista telefônica, Rádio Web e TV Web). Trabalhou em mais de uma dezena de emissoras de rádio nos estados de AL, PE, SP. Tecnólogo em oratória, em técnicas de vendas e administração empresarial pelo SENAC. Tem várias premiações como repórter e blogueiro. Destaque na área do fotojornalismo. Criador do projeto ecológico/educativo Poeta Viagens e Aventura. Membro efetivo da FACUPIRA (Fundação Cultural de Palmeira dos Índios/AL), Ex-membro do Conselho Municipal de Saúde de Bom Conselho/PE. Colunista dos sites Tribuna do Sertão (P.dos Índios) e Tribuna do Agreste (Arapiraca) e 7 Segundos (Maceió). Ex-assessor de comunicação da Câmara de Vereadores de Bom Conselho/PE.