CONHEÇA O SERTÃO, A CAATINGA, AS HISTÓRIAS E A TRILHA DA PEDRA MONTADA

Por Cláudio André, publicado em 21 de fevereiro de 2019

Diante das chuvas que caíram no alto sertão de Alagoas a vegetação mudou completamente, saiu do cinza pro verde. Durante a Trilha da Pedra Montada pudemos ver o quanto a caatinga é rica com seu bioma. 
Os umbuzeiros que ficam na reserva ecológica da serra da Pedra Montada estão carregados de umbus. O umbuzeiro ou jique é uma árvore de pequeno porte, pertencente à família das anacardiáceas, de copa larga, originária dos chapadões semiáridos do Nordeste brasileiro, que se destaca por fornecer sombra e aconchego.

Toda a reserva ecológica da serra da Pedra Montada, na zona rural de Água Branca/AL,  reconhecida pelo IMA, tem vários tipos de árvores, como angicos, umburanas de cheiro, umbuzeiros, ouricurizeiros e vários tipos de cactos.
No percusso até achegar ao cume da serra da Pedra Montada, encontramos muitos tipos de rochas e uma vegetação de caatinga com muitas variedades de pássaros e tipos de plantas.

O acúmulo de rochas tornou-se numa parede que também serve como reservatório para acumular água das chuvas que caem na região.
A vegetação de Alagoas é marcada pelo clima e solo predominantes em cada região. No litoral, mangues e lagoas se sobressaem na paisagem alagoana – atribuindo nome ao estado, inclusive. Já no agreste, resquícios de Mata Atlântica podem ser encontrados em meio à transição entre a vegetação litorânea e a caatinga.

No estado prevalecem dois tipos de climas: o semi-árido e o tropical úmido. O clima do tipo semi-árido é típico do sertão alagoano, sendo predominante em grande parte do território. O clima tropical úmido ocorre na costa alagoana, onde os índices pluviométricos são mais elevados.

Foi por esse caminho que percorremos os 600 metros da trilha da Pedra Montada. A natureza nessa região deixa suas marcas e evidências de como a preservação ambiental é importante para o clima.

As rochas graníticas existentes na subida da serra da Pedra Montada, no distrito de Tingui, alto sertão de Alagoas, tem cravadas em todo seu contexto, linques – os purificadores do ar em plena caatinga. 

De cima da serra do Craunã fizemos essa imagem diante da vista que tivemos do Morro do Padre. A trilha para chegar ao cume da serra levamos mais de 2 horas de caminhada, o paisagismo nos faz esquecer todo o cansaço físico.

O topo da serra da Pedra Montada tem seus 596 metros de altitude, de cima conseguiu fazer essa imagem do morro do Padre e ao mesmo tempo a serra do Himalaia na redondeza da cidade de Água Branca.

Nesse ponto existia uma minação que secou devido a alta estiagem no sertão de Alagoas. O antigo Minador fica a 475 metros de altitude na serra do Craunã. Como choveu no dia anterior, dentro da caatinga a temperatura estava na casa dos 30 graus centígrados.

O cupinzeiro é um aglomerado de terra e outros resíduos, edificado pelos cupins, constituindo o seu ninho. Os cupins são os grandes construtores do mundo dos insetos. Os enormes cupinzeiros da espécie africana Macrotermes podem medir 8 metros de altura e mesmo uma colônia média pode chegar a cerca de dois milhões de integrantes. As paredes dos cupinzeiros são feitas de partículas de solo retiradas pelos pequenos cupins operários e misturadas à saliva para formar uma substância dura semelhante ao tijolo, resistente a tudo, exceto a um predador persistente. 

O Lajedo da Pedra Montada é uma rocha granítica há poucos metros do cume da Pedra Montada na serra do Craunã. Entre pés de angicos, ouricurizeiros, barrigudas, a rocha abre uma clareira no meio da reserva, lhe dando oportunidade para fazer belas imagens por vários ângulos…

Entre a vegetação de caatinga está o cemitério do centenário distrito do Tingui, zona rural do município de Água Branca. Por essa região Lampião aprontou as suas, deixando a comunidade atônita com as proezas dos cangaceiros sob a custódia de Virgulino Ferreira. Essa foto fiz de cima do Lajedo da Pedra Montada.

Uma pausa no Lajedo da Pedra Montada, nesse ponto já estávamos a mais de 500 metros de altitude. Contemplar a natureza, ouvir o cantar dos pássaros logo cedo da manhã, não tem preço.

AGUARDE A PRÓXIMA POSTAGEM!

PATROCINADORES DESSA           REPORTAGEM    
DORIEL%2B780X250
ANDRE%2BBERNARDO%2B780X132
ccab4a4100c7e6b925266207d6b203a6
BIO%2BNOVO%2B400x400
.com/
ROGERIO%2BBEZERRA%2B780X132
central02
PUBLICIDADE%2B780X132

O Poeta tem muito mais conteúdo em nosso canal no YouTube!

Cláudio André

Cláudio André Santos, natural da cidade de Olho d'Água das Flores, sertão de Alagoas, formado em radiojornalismo, poeta, blogueiro, radialista profissional (Reg.3059 - DRT-PE), escritor. Tem doze livros de poesias e crônicas publicados. Premiado Pelo Ministério da Cultura em 2009 com o projeto Cultural Minha Imaginação é um Poema. Estudou além Radiojornalismo, Francês e Filosofia. Membro efetivo da Associação Alagoana de Imprensa (Reg.678). Fundador da Rádio Olho d'Água FM e Rádio Web News Olho d'Água, criador do Projeto Música na Escola, ex-seminarista. Show-man. Foi um dos fundadores e diretor-executivo da Associação de Blogueiros de Pernambuco (ABlogpe). Fundador do Sistema Online Poeta de Comunicação (Blog, Site, Studio, Lista telefônica, Rádio Web e TV Web). Trabalhou em mais de uma dezena de emissoras de rádio nos estados de AL, PE, SP. Tecnólogo em oratória, em técnicas de vendas e administração empresarial pelo SENAC. Tem várias premiações como repórter e blogueiro. Destaque na área do fotojornalismo. Criador do projeto ecológico/educativo Poeta Viagens e Aventura. Membro efetivo da FACUPIRA (Fundação Cultural de Palmeira dos Índios/AL), Ex-membro do Conselho Municipal de Saúde de Bom Conselho/PE. Colunista dos sites Tribuna do Sertão (P.dos Índios) e Tribuna do Agreste (Arapiraca) e 7 Segundos (Maceió). Ex-assessor de comunicação da Câmara de Vereadores de Bom Conselho/PE.