COMO FOI O INÍCIO DO POVOAMENTO DO AGRESTE MERIDIONAL DE PERNAMBUCO

Por Cláudio André, publicado em 19 de outubro de 2018

O POVOAMENTO DO AGRESTE MERIDIONAL
A povoação efetiva da Região do Agreste Meridional teve início no século XVII, mas já existem registros de organização de expedições à região do Rio São Francisco desde a fundação da Capitania de Pernambuco, em 1534. 


A EXPULSÃO DOS ÍNDIOS CAETÉS
Duarte Coelho, além de promover a expulsão dos índios Caetés da Aldeia de Marin (futura Olinda), tratou de enviar vaqueiros e soldados de milícia para desbravar a região do São Francisco, de forma que se começa a criar fazendas de gado e vilas.

O CRESCIMENTO DO POVOAMENTO NO AGRESTE MERIDIONAL
Nas proximidades do fim do século XVI, entre 1590 e 1600, a região já estava tão povoada que alguns anos depois, em 1627, já constitui um abastecedor de bovinos para os engenhos de Pernambuco e da Bahia, segundo Frei Vicente do Salvador.
OS ÍNDIOS QUE HABITARAM DE GARANHUNS A BOM CONSELHO…
A partir do século XVII, na sua primeira metade, há o estabelecimento da tribo dos índios Cariris na região que hoje é a cidade de Garanhuns e nas cidades em torno – São João, Paranatama, Brejão, Saloá, entre outras. 
A tribo que ali se estabeleceu, os “Unhanhu”, de corruptela “Garanhu”, fez com que o lugar ficasse conhecido como “Campo dos Garanhu”. 
Paralelamente a este fato, a Casa da Torre, em 1627, retoma as expedições ao longo do Rio São Francisco, devido aos rumores da existência de minas de prata na região, contribuindo ainda mais para o povoamento da região.

POSSE DAS TERRAS FOI UMA ORDEM DO REI
O próprio rei de Portugal, D. João III, também estava preocupado em garantir a posse da região em questão, quando em 1548 ordenou que Tomé de Souza, Governador Geral, enviasse soldados de milícia para que tomasse posse das terras desbravadas. 
Também o filho de Duarte Coelho, Duarte de Albuquerque promoveu expedições para a restauração de alguns povoados e para a conquista de índios, campanha esta que durou cinco anos.

A DOMINAÇÃO HOLANDESA
Na primeira metade do século XVII, um fato contribuiu para o deslocamento de pessoas – escravos e livres – para a região em destaque: o período da dominação holandesa em Pernambuco, que vai de 1630 a 1654. 

A FUGA DOS ESCRAVOS
Neste período, muitos proprietários tentaram escapar ao domínio flamengo migrando para o interior; também seus escravos aproveitaram a divergência da atenção dos portugueses para fugir e integrar o já significativo Quilombo dos Palmares. 

NÃO ERA PARA SER APENAS QUILOMBOLAS
Aliás, a denominação correta seria os Quilombos dos Palmares, uma vez que havia várias comunidades quilombolas, espalhadas desde União dos Palmares (cidade do atual Estado de Alagoas) até o Cabo de Santo Agostinho e as proximidades de Garanhuns. 

FOI FUNDAMENTAL
O fluxo constante de escravos africanos para esta região e sua interação com as populações locais constituem um fator importantíssimo para o desenvolvimento e crescimento da região.

O QUE FEZ O AGRESTE MERIDIONAL FICAR POVOADO
Pode-se dizer que a Região do Agreste Meridional foi povoada devido a três fatores principais: à proximidade com o Rio São Francisco, a expansão da criação de gado e a existência do Quilombo dos Palmares à pouca distância.

Se você não ler, de onde vem o saber?

O Poeta tem muito mais conteúdo em nosso canal no YouTube!

Cláudio André

Cláudio André Santos, natural da cidade de Olho d'Água das Flores, sertão de Alagoas, formado em radiojornalismo, poeta, blogueiro, radialista profissional (Reg.3059 - DRT-PE), escritor. Tem doze livros de poesias e crônicas publicados. Premiado Pelo Ministério da Cultura em 2009 com o projeto Cultural Minha Imaginação é um Poema. Estudou além Radiojornalismo, Francês e Filosofia. Membro efetivo da Associação Alagoana de Imprensa (Reg.678). Fundador da Rádio Olho d'Água FM e Rádio Web News Olho d'Água, criador do Projeto Música na Escola, ex-seminarista. Show-man. Foi um dos fundadores e diretor-executivo da Associação de Blogueiros de Pernambuco (ABlogpe). Fundador do Sistema Online Poeta de Comunicação (Blog, Site, Studio, Lista telefônica, Rádio Web e TV Web). Trabalhou em mais de uma dezena de emissoras de rádio nos estados de AL, PE, SP. Tecnólogo em oratória, em técnicas de vendas e administração empresarial pelo SENAC. Tem várias premiações como repórter e blogueiro. Destaque na área do fotojornalismo. Criador do projeto ecológico/educativo Poeta Viagens e Aventura. Membro efetivo da FACUPIRA (Fundação Cultural de Palmeira dos Índios/AL), Ex-membro do Conselho Municipal de Saúde de Bom Conselho/PE. Colunista dos sites Tribuna do Sertão (P.dos Índios) e Tribuna do Agreste (Arapiraca) e 7 Segundos (Maceió). Ex-assessor de comunicação da Câmara de Vereadores de Bom Conselho/PE.