CONHECENDO A REGIÃO SERRANA DO MUNICÍPIO DE MARIBONDO EM ALAGOAS (PARTE II)

Por Cláudio André, publicado em 5 de agosto de 2018

SAIBA COMO COMEÇOU A TRILHA DO DESAFIO DE 12 HORAS EM MARIBONDO -AL
Sábado, 04 de agosto de 2018, 4 horas da madrugada, em frente a igreja matriz da cidade de Maribondo, me juntei a equipe Trilha na Terra do Índio da cidade de Palmeira dos Índios, a convite do amigo Jânio Bernardo.
Ainda na escuridão da Madrugada os trilheiros das equipes “Quem caminha é nós e Trilha na terra do Índio”, saímos na rota das 12 horas do desafio de caminhar pela região serrana do município de Maribondo, ponto de partida da zona da mata alagoana.
Na verdade, foi meu primeiro desafio de caminhar por mais de 12 horas. Aos poucos fui superando meus limites físicos. A escuridão da madrugada, o frio de 17 graus, o caminho em forma de varedo, o orvalho da madrugada, enfim, respirando ar puro de um novo dia.
Por dentro de cercados, orvalho molhando seus pés, o friozinho das baixadas e dos vales e as subidas foram aumentando e os primeiros obstáculos foram aumentando a cada passa a frente.
O dia foi raiando… o amanhecer e o clarão do dia foram aparecendo e a cada metro percorrido fui descobrindo lugares e paisagens sensacionais. Fazia tempo que não sentia o toque do orvalho da manhã.
Fui contemplando o amanhecer de um novo dia. Cada minuto do raiar do dia é como se fosse uma prece. Deus se revelando pela natureza.

O município de Maribondo é produtor do gado de corte, toda a vegetação nos cercados é de capim pangola que serve para engordar o rebanho. Há criação de gado nelore por todos os lados.
Em meio a essa vegetação, serras e serrotes foram aparecendo. Nas partes de descida muita lama. Não tinha como escolher um lugar para passar. O caminho, a rota, era passar por dentro do brejo.
Cinco horas da manhã, o caminho era esse, a trilha era essa, estava apenas começando o desafio.
Fui superando cada metro, cada minuto de caminhada, subindo e descendo serras. O ar puro e o verde por todos os lados, nos energizava.
Passadas pouco mais de 2 horas de caminhada, ao longe, de cima da serra Grande, numa altura superior aos 600 metros, víamos a cidade de Maribondo.
Depois de muita subida, uma planície nos dava fôlego para seguir em frente. Com a musculatura aquecida, já podia da uns passos mais largos e tentar acompanhar a turma que estava habituada com longos trajetos.
O que restou de uma antiga olaria foi apenas um tupo que possivelmente tinha a função de chaminé. Essa vegetação fica na região da serra Grande.
Com mais de quatro horas de caminhada, parei para descansar um pouco. Recuperada as energias, segui em frente com uma turma super animada, pessoas que nunca vi, mas, muito solidárias.
Como diz uma canção, “caminhando e cantando e seguindo a canção”… Assim, percorri dos 40 km colocados no desafio, 17 km foram de muita emoção e aventura. Quem teve um melhor preparo físico foi até o final, quem não, saiu cortando trechos. Valeu tudo apena!
De cima da serra Grande, fiz essa imagem da serra Talhada. Um outro desafio foi descer essa serra, pois, os caminhos eram varedos feitos pelo gado nelore criados nos cercados. Entre uma serra e outra está um dos trechos da BR-316, que liga o sertão a capital alagoana.
Fiz essa imagem de cima da serra Grande. Do outro lado está a serra Talhada. Foi onde parei na Fazenda Coqueiro, onde todos os trilheiros foram bem recebidos. Uma experiência incrível.
Maribondo é um dos 102 município do estado de Alagoas e tem sua população estimada, segundo o IBGE, em 2010 era de 13.606 habitantes, com uma área de 171,28 km². Faz divisa com os municípios de  Tanque d’Arca, Mar Vermelho, Pindoba, Atalaia, Boca da Mata e Anadia.
Quando comecei a descer os poucos mais de 600 metros de altura da serra Grande, fui tendo a sensação que o desafio que a trilha estava apresentando era de nos ensinar a sermos livres a cada dia e que nossos limites físicos podem ser superados, basta sair da mesmice. 
PESQUISANDO E LENDO, conta a história do município que um pequeno sítio chamado “Poço da Caatinga” foi implantado em 1905 a 18 km de Anadia e tinha esse nome por possuir um poço de água cristalina localizado entre ingazeiros e canafístulas. Em meio à vegetação formou-se uma grande casa de maribondos, passando o lugar a se chamar “Poço da Casa de Maribondos”. 
Andar pela zona rural do município de Maribondo, que tem 56 anos de fundação, pude entender porque existem tantas fazendas, tantos cercado e cancelas… Diz ainda a história, “que meio a tantas fazendas, a de José Sapucaia de Araújo foi a que mais se desenvolveu, com a instalação, em 1910, do primeiro vapor de algodão. Em 1913 chegou à região a família Azevedo e, logo depois, José Xavier de Azevedo instalou a primeira feira, destruída, sem explicação, pela guarda municipal de Anadia.

NA PRÓXIMA POSTAGEM CONTAREMOS MAIS…

PATROCÍNIO

Rodovia PE-218
(Em frente ao Posto Fiscal de Bom Conselho)
Inauguração dia 11 de agosto, véspera do Dia dos Pais.

O Poeta tem muito mais conteúdo em nosso canal no YouTube!

Cláudio André

Cláudio André Santos, natural da cidade de Olho d'Água das Flores, sertão de Alagoas, formado em radiojornalismo, poeta, blogueiro, radialista profissional (Reg.3059 - DRT-PE), escritor. Tem doze livros de poesias e crônicas publicados. Premiado Pelo Ministério da Cultura em 2009 com o projeto Cultural Minha Imaginação é um Poema. Estudou além Radiojornalismo, Francês e Filosofia. Membro efetivo da Associação Alagoana de Imprensa (Reg.678). Fundador da Rádio Olho d'Água FM e Rádio Web News Olho d'Água, criador do Projeto Música na Escola, ex-seminarista. Show-man. Foi um dos fundadores e diretor-executivo da Associação de Blogueiros de Pernambuco (ABlogpe). Fundador do Sistema Online Poeta de Comunicação (Blog, Site, Studio, Lista telefônica, Rádio Web e TV Web). Trabalhou em mais de uma dezena de emissoras de rádio nos estados de AL, PE, SP. Tecnólogo em oratória, em técnicas de vendas e administração empresarial pelo SENAC. Tem várias premiações como repórter e blogueiro. Destaque na área do fotojornalismo. Criador do projeto ecológico/educativo Poeta Viagens e Aventura. Membro efetivo da FACUPIRA (Fundação Cultural de Palmeira dos Índios/AL), Ex-membro do Conselho Municipal de Saúde de Bom Conselho/PE. Colunista dos sites Tribuna do Sertão (P.dos Índios) e Tribuna do Agreste (Arapiraca) e 7 Segundos (Maceió). Ex-assessor de comunicação da Câmara de Vereadores de Bom Conselho/PE.